Ferramentas Pessoais
a a a
Revista CH / 2010

Do grão à fortaleza

Afinal, o que faz os castelos de areia se manterem de pé? Um especialista sacia a curiosidade de nosso leitor.

Por: Jason Gallas

Publicado em 27/09/2010 | Atualizado em 12/10/2010

Do grão à fortaleza

Castelo com direito a torres, pontes e rochas: a tensão superficial gerada pela água permite a construção de estruturas com a areia (foto: Flickr.com/ stephengg – CC BY-NC-ND 2.0).

Pergunta enviada por Adílson da Costa, por correio eletrônico

A estabilidade de um castelo de areia resulta de uma combinação de vários fatores. Entendê-los é, ainda hoje, motivo de pesquisas avançadas sobre a matéria em estado granular (ver ‘As mil e uma maravilhas dos meios granulares’, na CH 136).

Qualquer criança que já fez castelos sabe que areia com pouca ou muita água faz castelos ruírem. A principal questão a ser levada em conta para se conseguir uma construção firme é a chamada tensão superficial. Trata-se de um efeito que ocorre em uma camada do líquido que leva sua superfície a se comportar como uma membrana elástica, fazendo, por exemplo, com que insetos possam se locomover sobre a água.

Ao penetrar na  areia, a água forma o que se chama de ‘pontes de líquido’, fazendo com que os grãos fiquem unidos

Ao penetrar nos finos canais entre os grãos de areia, a água forma o que se chama de ‘pontes de líquido’, cuja elevada tensão superficial é responsável pela aderência e agregação da areia – ou seja, faz com que os grãos fiquem unidos. As pontes de líquido tornam os grãos pegajosos, o que possibilita a construção de estruturas com eles, como os castelos.

A areia tanto pode comportar-se como um sólido, permitindo-nos caminhar sobre ela na praia, quanto como um fluido, escoando numa ampulheta. A dificuldade básica está em caracterizar a transição entre estes dois comportamentos extremos (sólido e líquido). O tamanho e a composição da areia, por exemplo, influem nessa transição.

Apesar de todos os estudos até o presente, ainda não se encontrou um critério que permita definir sem ambiguidades o comportamento de materiais compostos de grãos, seja a mistura de remédios e cereais, seja a construção de castelos. A areia insiste em permanecer numa classe à parte, comportando-se ora como líquido, ora como sólido, para deleite das crianças e dos cientistas.


Jason Gallas
Instituto de Física
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Texto originalmente publicado na CH 274 (setembro/2010).

Ações do documento
blog comments powered by Disqus
novobannerch.jpg  

pchael
Assinatura digital

acervo digital

Clique aqui para informações

Suplemento cultural

banner sC

Quer publicar na CH?

Se você é pesquisador e gostaria de submeter um artigo para publicação na Ciência Hoje, confira antes nossas instruções para autores.

Acesso aos PDFs

A cada nova edição da CH impressa, alguns artigos e seções estarão disponíveis para todos os leitores. Esses itens estarão identificados com o ícone PDF aberto. Os outros artigos e seções (identificados com o ícone PDF fechado) em breve estarão disponíveis para os assinantes da CH.

RSS

RSS gif

Seja notificado sempre que for publicada na CH On-line uma nova matéria da CH impressa. Saiba mais sobre RSS.

Sua opinião

Caro leitor, gostaríamos de contar com sua colaboração, respondendo a uma breve pesquisa para aprimorarmos ainda mais a qualidade da revista Ciência Hoje. Na edição deste mês: 1) Qual o artigo de que você mais gostou? 2) Qual o artigo de que você menos gostou? Deixe suas respostas nesse fórum ou envie-as para cienciahoje@cienciahoje.org.br. Obrigado por sua participação!

 
Parceria: 

Ciencia Hoy