Ferramentas Pessoais
a a a
Notícias / Ecologia e Meio Ambiente

Conseqüências da falta de água podem ser trágicas

Relatório da ONU mostra que problema já é realidade em países pobres e populosos

Por: Gisele Lopes

Publicado em 31/03/2003 | Atualizado em 09/10/2009

 

Cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo consomem água contaminada. Outros milhares não conseguem água suficiente para suas plantações ou para o desenvolvimento industrial. Essas conclusões estão no World Water Development Report , relatório sobre a crise da água elaborado pela Organização das Nações Unidas e divulgado no 3° Fórum Mundial das Águas, que ocorreu entre 16 e 23 de março de 2003 no Japão. O documento da ONU se destaca entre outros relatórios sobre o tema porque, além de apontar os futuros transtornos que serão causados pela crise da água, traz estudos que mostram como esse problema já afeta -- e mata -- milhares de pessoas.

null

Distribuição da água disponível e da população por continentes, em pontos percentuais. Fonte: World Water Development Report

A poluição, o crescimento populacional e as mudanças no clima da Terra são indicados como os fatores que mais agravam a crise. Por dia, duas toneladas de lixo (industrial, químico, agrícola e de origem humana) são despejadas nas reservas de água limpa do planeta. Como apenas um litro de água contaminada basta para poluir 8 litros de água pura, a poluição atinge níveis que crescem em altas proporções. A situação afeta sobretudo os países em desenvolvimento, onde cerca de 50% da população está exposta a fontes de água poluídas.

Embora seja o maior continente do globo, a Ásia é o local mais afetado pelo aumento na população: ela abriga 60% dos habitantes do planeta, embora possua apenas 36% da reserva de água doce. A situação é parecida, embora em menores proporções, na África e na Europa. No entanto, nos países desenvolvidos o problema é diferente: a melhoria nas condições de vida fez crescer a utilização per capita de água a níveis que em breve serão inviáveis.

As mudanças climáticas desempenham papel fundamental nesse quadro. Embora seja difícil antever o que ocorrerá com o clima, as previsões para aumento de condições extremas, como enchentes, furacões e tornados, preocupam os especialistas, pois esses fatores poderiam acentuar a quantidade de lixo acumulado em fontes de água. O aumento da temperatura global também pode, segundo o relatório da ONU, piorar a qualidade da água.

 

null

Percentagem do total de doenças causadas por água imprópria. Fonte: Relatório Mundial da Saúde. Organização Mundial da Saúde, 2002


Na crise que se apresenta, a escassez é apenas parte do problema; a contaminação e a degradação dos ecossistemas aquáticos são as maiores causas de vítimas. Por ano, mais de 5 milhões de pessoas são atingidas por males decorrentes da ingestão de água contaminada, do contato com insetos vetores que habitam as águas poluídas e de infecções e verminoses, comuns em locais onde a água é insuficiente até para a higiene básica. Contra esse tipo de doença não existe vacina: a única proteção é a prevenção.

 

A viabilização do plano de metas da ONU, que estabelece que até 2015 deverá ser reduzido pela metade o número de pessoas sem acesso à água potável e saneamento básico, foi um dos principais temas de debate do Fórum. As conclusões do encontro foram redigidas na Declaração Ministerial, que, entre outros pontos, ressalta o compromisso de auxílio aos países mais pobres e a necessidade de investimentos em planos de desenvolvimento sustentável.

 

 

Gisele Lopes
Ciência Hoje on-line
31/03/03

 

 
Ações do documento