Ferramentas Pessoais
a a a
Blogue / Bússola

Bem-vindo ao Antropoceno

Publicado em 02/04/2012

Seria a humanidade uma nova força geológica que atua sobre o planeta? Cientistas lançam página virtual onde internautas podem refletir sobre o tema – nada consensual.

Em três minutos, uma viagem no tempo: da Revolução Industrial aos dias de hoje. O cenário é a Terra; a protagonista, a humanidade; e a trama é a dúvida – seríamos nós, humanos, responsáveis pela força criadora e destruidora capaz de iniciar uma nova era geológica no planeta?

É a reflexão proposta no vídeo abaixo, apresentado como prelúdio à navegação de um novíssimo site: o Welcome to the Anthropocene (Bem-vindo ao Antropoceno, em português).

Para os que chegaram agora na discussão, a história é assim: a humanidade vem, ao longo dos últimos milênios, exercendo influência tão evidente sobre os fluxos de energia e matéria do planeta que estaríamos, talvez, iniciando um novo período geológico: o Antropoceno.

O tema, aliás, rendeu artigo na revista Ciência Hoje 283. “A partir de meados do século 18, os humanos alteraram diretamente as paisagens em 40% a 50% do planeta, e marcas de sua influência afetam mais de 83% da superfície terrestre”, escrevem os autores.

Em outras palavras, aquela velha tabela do tempo geológico da Terra pode, segundo alguns, precisar de uma singela atualização.

Navegando

A proposta do novo site é informar o internauta e – com boas imagens à la Google Earth – ilustrar as razões que levam muitos cientistas a falar em Antropoceno.

Crescimento vertiginoso e disseminação global de grandes centros urbanos; mudanças globais em praticamente todos os níveis a velocidades assustadoras (há quem chame o período dos últimos 60 anos de ‘a grande aceleração’); revoluções industriais que afetaram praticamente todas as sociedades; modificação radical das paisagens ao sabor dos progressos civilizatórios; e por aí vai. Há um pequeno texto explicativo para cada um desses tópicos.

A página na internet traz uma boa galeria de imagens, ilustrando algumas das intervenções mais notáveis da atividade humana sobre o planeta. Destaque para o megaprojeto de exploração mineral na Serra dos Carajás; e também para a hidrelétrica de Três Gargantas, na China, com a maior barragem do mundo; entre uma série de outras pegadas nossas espalhadas pelo mundo afora.

Mapa Serra dos Carajás
Captura de tela da página virtual 'Welcome to the Anthropocene' destacando a região da Serra dos Carajás (PA), cenário de um dos maiores projetos de exploração mineral do mundo.

Com apelo estético de primeira, temos aí ótima ferramenta para os que querem se atualizar ou mesmo se iniciar na problemática tão instigante do Antropoceno.

Ainda em versão beta, as funcionalidades serão incrementadas ao longo do ano. Os desenvolvedores estimam que, até o final de 2012, a versão definitiva esteja finalizada.

Base para tomadores de decisão

A ferramenta foi lançada semana passada durante a Planet Under Pressure 2012, conferência realizada em Londres que reuniu atores de peso da comunidade científica de todo o globo – o encontro teve caráter preparatório para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável.

Discussões sobre o Antropoceno estiveram entre os destaques do evento. Afinal, um tema de tamanha envergadura abarca provavelmente todos os desafios socioambientais que hoje enfrentamos.

Além do lançamento do site, foi assinado um documento que, espera-se, seja lido pelos representantes de Estado que marcarão presença na Rio+20.

Henrique Kugler
Ciência Hoje/ RJ

Ações do documento
blog comments powered by Disqus
Carta de intenções

Bússola é o blogue da CH On-line, atualizado por jornalistas, pesquisadores e colaboradores do Instituto Ciência Hoje. Ele traz textos sobre a atualidade científica no Brasil e no mundo, comentários de cientistas sobre resultados de pesquisas, um apanhado do que há de melhor sobre ciência na internet e novidades dos bastidores da redação. Leia nosso post inaugural para saber mais sobre o que você vai encontrar por aqui.

RSS

RSS gif

Seja notificado sempre que for publicado um novo texto no blogue Bússola. Saiba mais sobre RSS.