Ferramentas Pessoais
a a a
Blogue / Bússola

Oceanos de plástico

Documentário denuncia a formação de capa tóxica na superfície dos oceanos, uma ameaça à biodiversidade marinha e à vida humana gerada pelo descarte do plástico.

Oceanos de plástico

Praticamente todo o plástico descartado nas últimas décadas continua de alguma forma na natureza – grande parte desse lixo dito descartável volta para nós contaminando os mares e sua cadeia alimentar, inclusive o homem. (foto: Plastic Oceans Foundation)

Uma enorme capa tóxica de plástico cobrindo os oceanos. Dezenas de pelicanos estranhamente mortos com isqueiros, soldadinhos de plástico e outros fragmentos do mesmo material no estômago. Baleias azuis e uma misteriosa síndrome que as deixa famintas. Pode parecer um cenário de ficção, mas trata-se de um alerta bastante real apresentado pelo documentário – em fase de produção – Away: a poluição das águas por plásticos, uma ameaça à biodiversidade marinha e à vida humana.  

A equipe de documentaristas da Plastic Ocean Foundation, organização ambientalista do Reino Unido, visitou mares de todo o mundo, mergulhou com baleias, investigou as profundezas e flagrou situações extremas de contaminação, sempre acompanhando de perto o trabalho de pesquisadores que conduzem estudos de ponta sobre o tema. Para a bióloga marinha Jo Ruxton, idealizadora e produtora do filme, é preciso sensibilizar o mundo para o problema do plástico e incentivar o desenvolvimento de novas estratégias para enfrentá-lo.

Assista a uma prévia do trabalho da equipe de documentaristas


Sacos, garrafas e embalagens de plástico descartáveis. Para onde vai tudo isso? Segundo a WWF e o Greenpeace, fabricou-se, na última década, mais plástico do que em todo o século 20 – das cerca de 300 milhões de toneladas produzidas por ano, metade é descartada após um único uso, mas pode permanecer na natureza por mais de 400 anos. “Todo o plástico produzido nos últimos 60 anos continua no ambiente. Jogamos fora sem nos preocupar, mas está voltando para nós”, afirma John Craig, diretor do documentário.

Muito desse lixo plástico acaba em rios e mares, onde pode afundar e contaminar o fundo dos oceanos ou ficar em suspensão, quebrando-se em pequenas partículas após anos de exposição no ambiente. “Percebemos que a existência de um grande aglomerado de lixo no meio do oceano é um mito; o que existe é uma sopa tóxica, mais perigosa e menos visível, logo abaixo da superfície das águas”, avalia Ruxton.

A base da cadeia alimentar

Misturado ao plâncton, conjunto de plantas e animais microscópicos que formam a base da cadeia alimentar marinha, o plástico é ingerido por pequenos animais e contamina a biodiversidade do mar de forma progressiva e cumulativa, colocando em risco também a saúde humana. Afinal, os peixes são fontes de proteínas na dieta de boa parte do mundo. 

Os plásticos possuem toxinas relacionadas a diversas doenças, como câncer, diabetes e disfunções autoimunes. “Além disso, ajudam a concentrar outras substâncias tóxicas, provenientes de efluentes industriais, por exemplo”, conta a bióloga. “A água de diversos locais onde estivemos apresentou grande concentração de plástico associada a essas toxinas.” Para Ruxton, apesar de os cientistas ainda discutirem a escala da crise, parece claro que todos os oceanos já são vítimas da poluição plástica.

Urso polar
Planctôn, peixes, a enorme baleia azul, os ursos polares e até o homem – todos os animais que integrem a cadeia alimentar dos oceanos poderão sofrer as consequências do acúmulo do plástico nas águas. (foto: David Shaw/ Plastic Oceans Foundation)

O homem, é claro, não é o único ameaçado. A equipe acompanhou pesquisas sobre a quantidade de lixo plástico consumida pelos animais marinhos. Chamou a atenção sua possível relação com a chamada skinny whale syndrome, mal que afeta populações de baleia azul, maior animal do mundo, encontradas misteriosamente famintas.

Cinema para preservar o mundo 

Ruxton não é nenhuma novata no assunto. Com 12 anos de experiência na produção de séries como Blue Planet e Pacific Abyss para a rede de TV britânica BBC, a bióloga acredita no poder do cinema, aliado à ciência, para inspirar a mudança. “Queremos criar uma poderosa representação da crise, que tire os espectadores da complacência, mostrar que o problema não vai embora com o lixo”, explica. Até o título, ainda provisório – Away –, pretende destacar o impacto daquilo que jogamos fora.  

Para o diretor do documentário, é preciso se aproximar do problema para compreender a ação humana na natureza. “Ao encontrar um soldadinho fabricado na China no estômago de um albatroz, numa ilha no meio do Pacífico, percebemos a extensão do problema”, relembra. “Precisamos repensar nosso estilo de vida descartável. Não se trata simplesmente de banir o plástico, mas de procurar soluções para o desperdício.” 

Mergulhador no plastico
A proposta do documentário é apresentar uma imagem contundente do problema, mas também possíveis soluções e medidas que estão sendo tomadas para lidar com a ameaça do plástico. (foto: Plastic Oceans Foundation)

Otimista, a produtora acredita que o documentário não será uma história de terror. Ela explica que vai apresentar alternativas para lidar com o plástico e formas de adaptá-las em larga escala, além de destacar o pioneirismo de alguns países nessa empreitada. “A ciência nos ajuda a problematizar as situações que encontramos e a apontar possíveis soluções”, explica. “Queremos encorajar o público a tirar suas próprias conclusões e fazer mais pesquisadores dedicarem-se à resolução do problema.”

“Queremos encorajar o público a tirar suas próprias conclusões e fazer mais pesquisadores dedicarem-se à resolução do problema”

Os documentaristas já acompanharam expedições de diversas instituições científicas parceiras do projeto, como as universidades de Plymouth, Exeter, Aberdeen e Portsmouth, do Reino Unido; Siena, da Itália; Califórnia e Maryland, dos Estados Unidos; e Pacífico Sul, da Oceania. 

Até a metade de 2012, a equipe ainda vai visitar comunidades próximas a rios densamente poluídos com plásticos, para registrar seus efeitos sobre a vida humana. O lançamento está previsto para 2013.

 

Confira a galeria com imagens registradas durante as filmagens do documentário

 

Marcelo Garcia
Ciência Hoje On-line

Ações do documento
blog comments powered by Disqus
novobannerch.jpg  

pchael
Carta de intenções

Bússola é o blogue da CH On-line, atualizado por jornalistas, pesquisadores e colaboradores do Instituto Ciência Hoje. Ele traz textos sobre a atualidade científica no Brasil e no mundo, comentários de cientistas sobre resultados de pesquisas, um apanhado do que há de melhor sobre ciência na internet e novidades dos bastidores da redação. Leia nosso post inaugural para saber mais sobre o que você vai encontrar por aqui.

RSS

RSS gif

Seja notificado sempre que for publicado um novo texto no blogue Bússola. Saiba mais sobre RSS.